Compartilhe

Ciências Comportamentais aplicadas à uma cadeia sustentável da soja

Os mercados externos exigem cada vez mais que as commodities importadas do Brasil estejam livres de desmatamento (legal ou ilegal) e, consequentemente, da perda de biodiversidade e das emissões climáticas associadas. O aumento da produção por meio do desmatamento direto ou indireto pode trazer diversas consequências para a situação ambiental do Brasil e repercussões danosas para seu setor de agronegócios e acesso a mercados. Há um crescente e relevante debate sobre como incentivar os agricultores a conservar áreas naturais além das exigências legais do Código Florestal.

Proprietários rurais são os responsáveis, em última instância, pelas decisões que envolvem o uso da terra em suas propriedades, como a manutenção do excedente de vegetação nativa; restauração de áreas degradadas para atender ou ultrapassar o mínimo legal exigido pela legislação do Código Florestal Brasileiro (CF); e adoção de práticas sustentáveis. Suas decisões dependem de fatores externos (arranjos institucionais, regulamentação, incentivos financeiros), internos (motivações e capacidade) e sociais (normas). Portanto, para desenhar políticas eficientes de incentivo a mudanças nos padrões de uso da terra, é necessário entender as forças que moldam os comportamentos dos agricultores e suas reações a diferentes configurações possíveis de estratégias de incentivos e intervenções.

Tendo essas questões em mente, o IIS irá desenvolver o projeto “Incentivos e intervenções para políticas baseadas em comportamento para uma cadeia produtiva de soja livre de desmatamento e conversão no Cerrado”. Com foco no bioma Cerrado e duração prevista até 2025, o projeto utilizará as ciências comportamentais para mapear critérios que influenciam o produtor de soja na tomada de decisão quanto ao uso da terra e desenhar mecanismos baseados no seus comportamentos que incentivem a conservação e restauração da vegetação nativa e adoção de práticas agrícolas sustentáveis. Estão previstas 4 fases:

  1. 1. Avaliar o comportamento do produtor de soja no Cerrado para identificar as causas principais que influenciam a mudança no uso da terra e desenvolver uma hipótese sobre as causas e motivações destes comportamentos.
  2. 2. Projetar incentivos e intervenções para eliminar o desmatamento da cadeia de fornecimento de soja no Cerrado incorporando princípios da ciência comportamental para lidar com anomalias comportamentais humanas.
  3. 3. Testar as soluções potenciais, medindo as preferências dos agricultores e a disposição de aceitar incentivos para conservação e restauração de vegetação nativa e até que ponto isso pode ser aprimorado por intervenções e efeitos comportamentais ao aplicar um experimento de escolha com agricultores.
  4. 4. Informar políticas privadas, públicas e multilaterais sobre como implementar, ampliar e monitorar intervenções e incentivos baseados em comportamento para conservação, restauração ou expansão agrícola de soja neutra. Analisar os custos e benefícios das soluções propostas e definir a operacionalização do incentivo para desenvolver um plano passo a passo para sua implementação, scale-up e monitoramento.

Este projeto foi um dos sete selecionados na segunda chamada de financiamentos do Land Innovation Fund (LIF) para a América do Sul, um fundo de fomento à inovação criado para buscar soluções para o desmatamento. O LIF apoia iniciativas que promovam uma cadeia de suprimento de soja sustentável e livre de desmatamento e conversão de vegetação nativa que gerem impacto econômico e socioambiental positivo em três biomas prioritários na América do Sul: Cerrado, Gran Chaco e Amazônia.

Colaboradores Relacionados (6)

Parceiros Relacionados (1)

Land Innovation Fund (LIF)