Compartilhe

Ciências Comportamentais aplicadas à uma cadeia sustentável da soja

Se nenhuma medida for tomada, espera-se que o Cerrado perca de 31-34% da sua vegetação nativa remanescente até 2050 devido à expansão agrícola associada à uma limitada proteção das terras, podendo levar à extinção cerca de 480 espécies de plantas endêmicas (Strassburg et al. 2017). Isso acarretaria em intensos prejuízos socioambientais ao Brasil, alterando o funcionamento dos ecossistemas e sua capacidade de prestar serviços às comunidades, e repercussões danosas para o agronegócio. Entretanto, este não precisa ser o futuro do bioma: pesquisas já mostraram que é possível aumentar substancialmente a produção de soja sem desmatamento no Brasil em geral (Strassburg et al., 2014) e no Cerrado em particular (Strassburg et al., 2017).

A decisão dos produtores em adotar esse compromisso, porém, depende de fatores externos (arranjos institucionais, regulamentação, incentivos financeiros), internos (motivações, capacidade) e sociais (normas). Portanto, para desenhar políticas eficientes de incentivo a mudanças nos padrões de uso da terra, é necessário entender as forças que moldam os comportamentos dos agricultores e suas reações às diferentes estratégias. Intervenções comportamentais cuidadosamente projetadas podem remodelar indivíduos ou grupos, estimulando-os a se comportar de maneira benéfica para as pessoas e o meio ambiente.

Tendo essas questões em mente, o IIS iniciou em 2022 o desenvolvimento do projeto “Incentivos e intervenções para políticas baseadas em comportamento para uma cadeia produtiva de soja livre de desmatamento e conversão no Cerrado”. Com foco no bioma Cerrado e duração prevista até 2025, o projeto utilizará as ciências comportamentais para mapear critérios que influenciam o produtor de soja na tomada de decisão quanto ao uso da terra e desenhar mecanismos baseados no seus comportamentos que incentivem a conservação e restauração da vegetação nativa e adoção de práticas agrícolas sustentáveis. Estão previstas 4 fases:

  1. 1. Avaliar o comportamento do produtor de soja no Cerrado para identificar as causas principais que influenciam a mudança no uso da terra e desenvolver uma hipótese sobre as causas e motivações destes comportamentos.
  2. 2. Projetar incentivos e intervenções para eliminar o desmatamento da cadeia de fornecimento de soja no Cerrado incorporando princípios da ciência comportamental para lidar com anomalias comportamentais humanas.
  3. 3. Testar as soluções potenciais, medindo as preferências dos agricultores e a disposição de aceitar incentivos para conservação e restauração de vegetação nativa e até que ponto isso pode ser aprimorado por intervenções e efeitos comportamentais ao aplicar um experimento de escolha com agricultores.
  4. 4. Informar políticas privadas, públicas e multilaterais sobre como implementar, ampliar e monitorar intervenções e incentivos baseados em comportamento para conservação, restauração ou expansão agrícola de soja neutra. Analisar os custos e benefícios das soluções propostas e definir a operacionalização do incentivo para desenvolver um plano passo a passo para sua implementação, scale-up e monitoramento.

Este projeto foi um dos sete selecionados na segunda chamada de financiamentos do Land Innovation Fund (LIF) para a América do Sul, um fundo de fomento à inovação criado para buscar soluções para o desmatamento. O LIF apoia iniciativas que promovam uma cadeia de suprimento de soja sustentável e livre de desmatamento e conversão de vegetação nativa que gerem impacto econômico e socioambiental positivo em três biomas prioritários na América do Sul: Cerrado, Gran Chaco e Amazônia.

Colaboradores Relacionados (5)

Parceiros Relacionados (1)

Land Innovation Fund (LIF)